Ser bom ou mal é fácil. Difícil é ser justo.

Essa frase eu ouvi pela primeira vez aos 23 anos de idade, de um gestor que nunca imaginei como uma referência de liderança.

Mas hoje, 15 anos depois, percebo a profundidade dela.  E dele. Passei a respeitá-lo muito mais quando precisei tomar as primeiras decisões como executivo. Mais ou menos como aquele reconhecimento tardio que damos aos nossos pais quando temos filhos (algo que também já me aconteceu).

Liderança não é para qualquer um. Simplesmente por que é inevitável decidir. Você, como líder, passará o tempo todo tomando decisões, de qualquer natureza: Onde será o escritório, qual a estratégia comercial, que perfil de equipe queremos, entre tantas outras.

E quando o assunto é equipe, os líderes são ainda mais escassos. Muitos teorizam, criticam, filosofam. Mas o front de batalha é igualmente para poucos.

Um time de sucesso deve ser construído a base de 2 fundamentos chave: confiança e comprometimento. Sem estes dois princípios, nada mais funciona. E cabe ao gestor decidir a hora e o que mudar.

O líder recebe informações de diversas naturezas e fontes, tentativas de influência de todos os lados. Quanto maior as equipes, mais difícil é construir harmonia. As pessoas, no seu instinto (as vezes maldade) advogam sempre em causa própria, no velho chavão dos “fins que justificam os meios”

É imprescindível ouvir a todos os lados, sem tomar partido formal, jamais. Por um motivo simples: Você será o responsável por ela, para o bem e para o mal. Você ganha para isso, inclusive. E imparcialidade é a chave do jogo.

Você deve construir a sua opinião com base nas informações que recebe, no tempo que você julgar adequado. Esteja 100% seguro de todas as decisões que envolvam pessoas. Seja contratar, demitir, transferir, realocar, promover.

Por esta razão, justiça é um princípio que deve permear todos os seus momentos. O líder bonzinho diz sim para tudo e desagrada. O líder malvado diz não para tudo e também desagrada.

Justiça é encontrar o caminho entre os objetivos do time como um todo, através do melhor que cada indivíduo pode oferecer.

O todo sempre é maior que a soma das partes. 

E saiba também conviver com as críticas a respeito de suas decisões. Faz parte do crescimento de qualquer gestor de pessoas. De qualquer líder.

Boa sorte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s