A comunicação interna morreu?

Se tem uma coisa que a vida moderna nos deu foi a democratização do acesso à informação. Com as novas tecnologias, trocamos e acessamos informações instantaneamente, sobre tudo e sobre todos.
Por outro lado, tudo que a inovação na forma de buscar informações nos tirou algo que é fundamental para absorver o conhecimento que esta mesma informação nos proporciona: o tempo.
Vivemos uma situação paradoxal. No momento mais farto de distribuição de informação da história humana, não conseguimos consolidar conhecimentos na velocidade ou na proporção que fazíamos antes. É cada vez mais difícil separar o joio do trigo e absorver a informação que vai te levar a um patamar diferente do ponto de vista cultural, intelectual, profissional.
Quando transferimos esta realidade para o mundo corporativo, talvez consigamos resumir o caos.
Práticas arcaicas e sem efeito são ainda os principais pilares das corporações na hora de comunicar seus colaboradores, de fazê-los mais engajados, motivados e comprometidos.
O e-mail não pode mais ser encarado como a principal ferramenta de seus colaboradores. Ele hoje é o grande vilão da improdutividade, pouco lido e milhões povoam a sua caixa todos os dias. Serve para auto-proteção caso algo dê errado adiante (eu não tenho culpa, mandei o e-mail…).
E o que fazer? Algo precisa ser feito. Hoje o desafio é segmentar a sua empresa pelo comportamento, descobrir o que chama a atenção destes grupos e que canais estas pessoas utilizam. Diversifique a abordagem para diminuir o risco de perder a mensagem.
Busque locais e momentos que estas pessoas tiram suas pausas, seus “breaks” e torne este local um espaço de informação relevante. Seja com monitores dinâmicos ou até mesmo os antigos murais, que sabe? Depende de sua cultura empresarial.
Use o mobile. Onde mais estão seus colaboradores se não em um smartphone ou telefone celular? É um método barato e muito eficiente
Use a liderança o máximo possível, inclusive de forma presencial. Vídeos periódicos que mostram o direcionamento estratégico e resultados também ajudam, mas nada melhor que uma apresentação do chefe a todos. Isso possibilita reconhecimento instantâneo, passa a mensagem, todos se sentem iguais ao receber a informação simultaneamente e economiza tempo de todos, até do próprio líder.
Por isso, não deixe a comunicação interna morrer. Melhore a forma de sinalizar o que é importante, diversifique canais, treine seus líderes como comunicadores e torne sua empresa um organismo vivo, de verdade.
Faça com que a informação que interessa chegue às pessoas e torne seu ambiente mais leve e produtivo. Sem rádio peão, sem dúvida sobre a transparência da liderança.
Resumindo: não subestime a sua marca como empregadora. Se você não investe nela, não está investindo em nada.

Sergio Sabino é Country Manager da TMP Worldwide no Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s